• Mariana Teixeira, blog Vamos Mamães

ESTRESSE INFANTIL


Hoje vamos embarcar no texto da minha amiga Mariana, do Blog Vamos Mamães.

O estresse infantil está preocupando cada vez mais os pais e educadores. Nesse post você vai saber tudo sobre o assunto.

O que é o estresse?

Stress é uma reação do organismo com componentes psicológicos, físicos, mentais e hormonais. Ele ocorre quando surge a necessidade de uma grande adaptação a um evento ou uma situação de importância. Este evento pode ser algo negativo ou positivo.

Stress negativo: é o stress em excesso. Ocorre quando a pessoa ultrapassa seus limites e esgota sua capacidade de adaptação. O organismo fica destituído de nutrientes e a energia mental fica reduzida. A produtividade e a capacidade de trabalho ficam muito prejudicadas. A qualidade de vida sofre danos. Posteriormente, a pessoa pode vir a adoecer.

Stress positivo: é o stress em sua fase inicial, isto é, a “fase de alerta”. O organismo produz adrenalina que dá ânimo, vigor e energia, fazendo a pessoa produzir mais e ser mais criativa. Ela pode passar por períodos em que dormir e descansar passa a não ter tanta importância. É a fase da produtividade. Ninguém consegue ficar em alerta por muito tempo, pois o stress se transforma em excessivo quando dura demais.

Stress ideal: é quando a pessoa aprende o manejo do stress e gerencia a “fase de alerta” de modo eficiente, alternando entre estar em alerta e sair de alerta. O organismo precisa entrar em homeostase* após uma permanência em alerta para que se recupere. Não há dano em entrar de novo em alerta pós a recuperação. Doenças começam a ocorrer se não há um período de recuperação, pois o organismo se exaure e o stress fica excessivo devido a algum evento estressor forte demais ou porque se prolonga em excesso.

O que estresse infantil?

O stress é uma reação do organismo frente a situações muito difíceis, ou muito excitantes, que também pode ocorrer em crianças de qualquer idade. Ele pode se manifestar em meninos e meninas através de sintomas físicos ou psicológicos. Freqüentemente os pais não sabem reconhecer que seu filho está estressado.

Crianças que não conseguem saber claramente o que estão sentindo acabam se passando por malcriadas ou birrentas, quando na verdade estão sofrendo a ação nefasta do stress excessivo.

Dos poucos estudos brasileiros sobre estresse infantil, se destaca um levantamento realizado pela pesquisadora Ana Maria Rossi, presidente da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR). A pesquisa, feita com 220 crianças entre 7 e 12 anos nas cidades de Porto Alegre e São Paulo, revelou que oito a cada dez casos em que os pais buscam ajuda profissional para seus filhos por causa de alterações de comportamento têm sua origem no estresse.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pela Associação Norte-Americana de Psicologia entrevistou 1.206 crianças, que tinham de 8 a 17 anos. Quase 50% delas revelaram que seus estudos são uma fonte de estresse. O alarmante é que apenas 33% dos pais dessas crianças estavam cientes desse fato. A pesquisa também revelou que 30% dos entrevistados se preocupam com a situação financeira da família, mas que apenas 18% dos pais sabiam disso.

Outro dado da pesquisa: 29% dos adolescentes se preocupam com os desafios que enfrentarão após se formarem no colégio. Qual a porcentagem de pais que tinham conhecimento dessa preocupação? Apenas 5%! A pesquisa também demonstrou que 42% dos adolescentes sofrem de dores de cabeça e que 49% deles têm dificuldades em dormir à noite. Quantos pais estão a par desses problemas físicos? Só 13%.

A pesquisa revelou não apenas que muitas crianças e adolescentes têm muitas preocupações, mas que o estresse está lhes afetando a saúde. A Associação Norte-Americana de Psicologia alerta: “Nossos estudos indicam que os pais não estão cientes do estresse sofrido pelos filhos. A maioria dos pais não sabe o que deveria saber a respeito dos comportamentos de risco dos filhos. A percepção dos pais quanto ao uso de drogas, atividade sexual e depressão dos filhos está aquém da realidade. O mesmo parece ser

verdadeiro em relação ao estresse”.

O que pode causar o estresse na criança:

- Morte na família;

- Brigas constantes entre os pais;

- Separação dos pais;

- Mudança de cidade ou escola;

- Escolas ruins;

- Professores inadequados;

- Atividades em excesso;

- Viagens longas;

- Nascimento de irmãos;

- Doenças;

- Hospitalização.

Uma questão importante e bastante atual é a sobrecarga que as crianças tem de múltiplas atividades. Os pais querem que as crianças aprendam tudo ao mesmo tempo. Não podem deixá-la aprender inglês depois, tem que ser agora, com cinco anos, por exemplo. Não sobra tempo para brincar. O que a gente deduz é que a vida moderna está causando um impacto grande na vida das pessoas. CRIANÇA PRECISA BRINCAR !!!

E um dos aspectos que está causando muito impacto é a globalização. Porque de repente vemos, dentro de casa, tudo o que se passa no mundo. Se há uma matança num lugar distante, as pessoas ficam sabendo de imediato. Entramos em contato com tudo de ruim que acontece no mundo todo. Outro aspecto da globalização que causa bastante estresse é a mudança de valores. Acabamos tendo contato com valores muito diversos dos nossos.

Como ajudar:

Tente identificar o que está estressando a criança. Se possível, diminua a pressão que ela está sofrendo. Não a poupe em demasia. Criança que é muito protegida não desenvolve imunidade ao stress.

O stress deve ser proporcional à idade e ao amadurecimento da criança; Quando não for possível protegê-la do stress excessivo (como no caso de morte na família, mudança de cidade etc.), é necessário fortalecer a criança para lidar com a situação da melhor maneira possível.

Aprenda a reconhecer os sintomas de Stress em Crianças:

Sintomas Fisicos:

* dor de barriga

* diarréia

* tique nervoso

* dor de cabeça

* náuseas

* hiperatividade

* enureses noturna

* gagueira

* tensão muscular

* ranger de dentes

* falta de apetite

* mãos frias e suadas

Sintomas psicológicos:

* terror noturno

* introversão súbita

* medo ou choro excessivo

* agressividade

* impaciência

* pesadelos

* ansiedade

* dificuldades interpessoais

* desobediência

* insegurança

* hipersensibilidade

Vale lembrar que nenhum destes sintomas isolados pode ser interpretado como sinal de stress. É importante verificar se vários sintomas estão ocorrendo juntos. O stress não tratado e prolongado pode levar a uma série de doenças e problemas de adaptação, inclusive na escola.

Além disso, a criança que não aprende a lidar com a tensão, quase sempre se torna um adulto vulnerável ao stress, por isso, é sempre melhor aprender a lidar com os problemas quando se é ainda bem jovem, embora na idade adulta também possa se adquirir técnicas de controle do stress.

#Estresse

 Brasília DF  |      © 2015 Papai no controle  | blogpapainocontrole.com