• Jamile Romeu

Gravidez X Tireoidectomia - O que muda na vida das grávidas sem tireoide ?


Olá pessoal depois de uma semana de molho em casa, consegui recobrar minhas forças e escrever sobre o bebê que está a caminho! Nosso intuito com o blog e as redes sociais sempre foi prestar apoio aos papais e mamães e dividir experiências, então quero dividir com vocês a situação que estamos passando com relação aos hormônios da tireoide. Percebemos que existe pouca coisa na internet nesse sentido e quero compartilhar isso com as mamães e papais de plantão.

TIREOIDECTOMIA

Há sete meses eu fiz a retirada da minha glândula tireóde (tireoidectomia). Eu tinha diversos nódulos, indicações cirúrgicas e minha mãe tinha descoberto câncer de tireóide há pouco tempo. Todos esses fatores contribuíram para a decisão de viver sem a tal tireóide, impedir problemas futuros e tomar hormônio artificial para sempre.

Logo depois da cirurgia eu sofri um pouco com a adequação da quantidade do hormônio que eu teria que tomar. Comecei com 50, fui pra 112 e depois baixei para 100. Tive picos de depressão, calores, tontura... Em resumo, depois de uns 3 meses consegui adequar a dosagem e sobreviver.

GRÁVIDA E SEM TIREOIDE

Quando engravidei, eu não tinha um endocrinologista fixo e tinha feito exames há mais de 2 meses. Uma dica que eu dou é essa: se você tem problemas de tireoide e quer engravidar, trate de ter uma endocrinologista no bolso, para iniciar o acompanhamento logo que descobrir a gestação. Acreditem, o hormônio pode desregular logo nas primeiras semanas e te enlouquecer.

Nós não tivemos nenhuma dificuldade para engravidar por causa da falta da glândula. Na verdade, foi bem mais rápido do que esperávamos! Quando a reposição hormonal é feita de forma correta não existe nenhum prejuízo para a fertilização, que foi o nosso caso. Logo depois que o papai me contou que eu estava grávida (Clique aqui para entender melhor kkk!) de 6 semanas, passei muito mal. Não conseguia ficar em pé, sentia muita tontura, o mundo girava e eu estava sem forças e sem ânimo. Foi um terror, não conseguia cuidar da Tarsila, tomava Dramin o dia todo e precisava de ajuda para me alimentar. Iniciei o pré-natal às pressas e na mesma semana, consegui uma consulta de urgência com uma endocrinologista maravilhosa. Corremos para fazer todos os exames de sangue e imagem.

Nos exames de tireoide descobrimos que o meu TSH – hormônio produzido pela hipófise para regular as taxas de T3 e T4, estava altíssimo e indicava um hipotireoidismo e uma desregulação grave em meu sistema. Segundo a endocrinologista, meu corpo poderia estar recusando a marca do hormônio artificial que eu tomo todas as manhas, e a dose estava baixa. Isso pode ter causado uma pane no meu corpo e esse mal-estar tão grande. As orientações dela foram trocar a marca do hormônio e aumentar a dose para 112. Troquei a medicação imediatamente, mas é necessário um tempo para que o organismo se adeque.

Segundo a endocrinologista, gestantes precisam fazer exame de sangue a cada 4 semanas, para verificar se as doses estão corretas e fazer as mudanças necessárias conforme a gestação. Isso acontece por que a gravidez é um fator de estresse para a tireoide, que precisa trabalhar até 50% mais para manter o equilíbrio hormonal tanto da mãe quanto do bebê. Se a tireoide não funcionar direito, pode aumentar muito o risco de aborto espontâneo e parto prematuro. Cobre essses exames durante as consultas de pre-natal.

Já estou tomando a nova medicação há quase uma semana. Me sinto muito, muito melhor, mas ainda tenho picos de desânimo, lentidão e fraqueza, principalmente durante a tarde. Mas aí aproveito que a Tarsila está na escola para deitar um pouco e recobrar minhas forças. Daqui algumas semanas vou fazer os exames novamente para checar se a dosagem está boa.

GLÂNDULA DO BEBÊ

A tiróide fetal e o sistema que normalmente regula a sua função só funcionam plenamente a partir das 20 semanas de gravidez. Até lá, o feto depende exclusivamente do hormônio tireóideo materno que são essenciais para um normal desenvolvimento do sistema nervoso central.

AFINAL, O QUE É TIREOIDE?

A tireoide é uma das maiores glândulas do corpo, mas você só descobre para o que serve quando ela dá problema. Kkkk! Ela regula a função de órgãos importantes como o coração, o cérebro, o fígado e os rins. A glândula produz os hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Dessa forma, garante o equilíbrio do organismo. Ela atua diretamente no crescimento e desenvolvimento de crianças e de adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor e no controle emocional. A glândula possui forma de borboleta (com dois lobos) e se localiza na parte anterior do pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão. Quando a tireoide não funciona corretamente, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente (hipotireoidismo) ou em excesso (hipertiroidismo). Esses problemas podem ocorrer em qualquer etapa da vida e são simples de se diagnosticar. Eu costumo dizer que a tireoide é responsavel pela vontade de viver. Então se você está sem ânimo, sem forças, anda deprimida sem nenhum motivo, tem dificuldades com o calor, sente muito ou pouco sono, não custa nada fazer uns exames para verificar os hormônios.

Tem alguma dúvida sobre essa questão? Escreva pra gente e terei o maior prazer em buscar ajuda profissional para te responder.

#Gravidez #Tireoide #Gestação #Hormônios #Tireoidectomiatotal

 Brasília DF  |      © 2015 Papai no controle  | blogpapainocontrole.com