• Mamãe Jamile Romeu

Dois filhos e a culpa que dá


Saí da maternidade e cheguei em casa cheia de dúvidas e medos. Já não era mais como aqueles fantasmas de mãe de primeira viagem. Minha maior preocupação era dar atenção para os meus dois amores, igualmente sedentos. Era de não magoar minha Tarsila.

Eu não sabia bem como as coisas iriam caminhar. Achei que entraria novamente num baby blues. Sofri. Chorei. Mas o amor ensina. E, mais uma vez, me ensinou. Aprendi que amor não se força, não se impõe. Tarsila amou o irmão desde a primeira vez que o viu. De forma simples. Suave.

Preparamos todo um aparato na maternidade, câmeras, celular, um texto que eu vinha decorando desde a gravidez. Sempre imprevisível, ela entrou no quarto, passou por ele, olhou, pegou na mãozinha e disse oi. Um oi de quem o conhecia há meses, aliás, há bem mais tempo que eu. Nesse dia eu aprendi uma lição. Quem complica as coisas somos nós. Decidi parar de complicar. Deixar o amor rolar. Relaxar.

E quanto aos corações sedentos por atenção, carinho e amor?! Aprendi que ninguém pode viver 100% satisfeito, Aprendi que nem as melhores mães conseguem agradar a todos.


 Brasília DF  |      © 2015 Papai no controle  | blogpapainocontrole.com