• Jamile Damasceno

Adeus peitinho - O desmame do Ravi


Eu sabia que uma hora isso iria acontecer. Mas não achei que seria assim, tão rápido, sem ao menos um aviso, uma despedida. Sim, eu sei. Foram dias sem peito, sem explicação, sem mamãe voltando pra casa. Foram dias de uma saudade enlouquecedora que eu nunca senti. Dias andando de um lado pro outro em um corredor de hospital.

[ Sofremos um acidente em Patos de Minas e rompi alguns ligamentos do ombro / Explico melhor em outro post]

Era demais achar que eu iria voltar e as coisas seriam iguais. Você teve que se virar. E fez isso da melhor forma. Encontrou no papai a sua segurança. Transferiu pra ele o chorinho que fazia ao me ver e os bracinhos esticados pedindo colo. Vocês se conectaram de uma forma linda. E dou graças a Deus por isso.

Eu voltei e você me atacou, me cheirou, me amou. Mamou, pra ter certeza de que estava tudo no seu lugar. Mas, convenhamos, a mamadeira parecia bem mais atrativa. Nossas horas mágicas de amamentação viraram minutos, segundos, viraram tentativas.

Ás vezes eu sinto saudades do peito vazando ou de todas aquelas coisas que eu reclamei tanto.... Sinto falta de ser exclusiva. De ter super poderes. De te dar o que só eu tinha. Talvez isso soe um pouco egoísta. Talvez. Mas é apenas uma despedida. Um desabafo. Uma tentativa de abraçar a mim mesma com palavras. Um momento de evolução pra nos dois. Graças a Deus, bater um prato de comida ou traçar uma mamadeira, não são problemas por aqui.

Filho. Foi maravilhoso amamentar você. É maravilhoso te ver crescer a cada momento. Mamãe te ama e tem muito orgulho de você! ❤️ [#CartasproRavi]


 Brasília DF  |      © 2015 Papai no controle  | blogpapainocontrole.com